1.2. Teoria do Big Bang

 

  • O Universo terá tido origem há cerca de 15 mil milhões de anos, numa violenta explosão designadada por Big Bang.

 

  •  Segundo a teoria do Big Bang, toda a matéria e energia que hoje formam o Universo observável terão estado concentrados num espaço muito pequeno e quente.

 

 

  •   Após o Big Bang, toda a matéria concentrada nesse pequeníssimo espaço começou a arrefecer e a expandir-se em todas as direções.

 

  • De acordo com a teoria do Big Bang, o Universo terá sido, no início da sua história, extremamente quente e, por isso, deverá ter emitido radiação.

 

Radiotelescópios

 

A radiação emitida na fase inicial da formação do Universo foi detetada em 1964 por uma antena de rádio construída para comunicações com satélites da NASA.

 

  • Estas antenas de rádio permitem detetar ondas de rádio emitidas por objetos celestes sendo, por isso, utilizadas como radiotelescópios.

 

Telescópios espaciais

 

Devido à dificuldade em detetar à superfície da Terra a radiação emitida por corpos celestes, foi necessário colocar telescópios no Espaço acima da atmosfera terrestre.

 

Por exemplo, em 1989, o telescópio espacial COBE, foi colocado em órbita à volta da Terra para estudar a radiação emitida nos primórdios do Universo.

 

Evidências que suportam a teoria do Big Bang:

•a expansão do Universo e
•a radiação emitida na fase inicial da sua formação.


Evolução da ciência e da tecnologia

 

 

A evolução da ciência e da tecnologia tem permitido um melhor conhecimento do Universo, nomeadamente com a evolução tecnológica dos telescópios.

 

Um exemplo é o caso da colocação em órbita do telescópio espacial Hubble, também designado por HST.

 

Com este telescópio tem sido possível obter mais e melhor informação acerca do Universo.

 

 

Galáxias e enxames de galáxias

 

As galáxias formam aglomerados ou grupos de galáxias designados por enxames de galáxias.

 

 

Os enxames de galáxias, também designados por cúmulos, podem ser:

•enxames ricos ou
•enxames pobres,

consoante o número de galáxias que contêm.

 

 

Enxames ricos: podem conter milhares de galáxias.
 
Enxames pobres: contêm apenas dezenas de galáxias.

 

A Via Láctea faz parte de um enxame pobre, constituído por cerca de 40 galáxias, designado por Grupo Local.

 

As galáxias, quanto à sua forma, podem ser classificadas em galáxias:

 

Nas galáxias em espiral podemos identicar braços em espiral.

 

Galáxias irregulares

 

As galáxias irregulares não têm forma geométrica definida.

 

Galáxias elípticas

 

As galáxias elípticas tem a forma de um elipsoide (no plano do papel têm a forma de uma elipse).

 

 

Superenxames de galáxias

 

Tal como as galáxias se agrupam em enxames de galáxias, os enxames de galáxias também se agrupam formando superenxames.

 

O enxame do Grupo Local faz parte do Superenxame Local.

 

Síntese de conteúdos

 

  • Segundo a teoria do Big Bang, o Universo terá tido origem há cerca de 15 milhões de anos, numa violenta explosão em que toda a matéria terá começado a expandir-se.

 

  • A expansão do Universo e a radiação emitida na fase inicial da sua formação são duas evidências que suportam a teoria do Big Bang.

 

  • A evolução da ciência e da tecnologia tem permitido um melhor conhecimento do Universo, nomeadamente com a evolução tecnológica dos telescópios.

 

  • As galáxias formam aglomerados ou grupos de galáxias designados por enxames de galáxias.

 

  • As galáxias, quanto à sua forma, podem ser classificadas em galáxias em espiral, irregulares ou elípticas.

 

  • Os enxames de galáxias formam aglomerados designados por superenxames de galáxias.

 

 

Contactos

© Triplex