Salto alto provoca varizes? E cruzar as pernas? Veja mitos e verdades

Salto alto provoca varizes? E cruzar as pernas? Veja mitos e verdades

No verão, a preocupação com a estética parece ser maior do que em qualquer época do ano. Além da busca pela boa forma física, as brasileiras têm se preocupado cada vez mais com as varizes -- já que são registrados oito casos de mulheres com varizes para cada homem com a doença.

Caracterizada pelo aparecimento de veias tortuosas, bastante dilatadas, principalmente na região da panturrilha, a doença prejudica a circulação, e desenvolve-se por predisposição familiar.

"As varizes se formam a partir de veias superficiais inúteis e desnecessárias que todos nós temos na perna. Diante de uma característica genética de fragilidade da parede, essas veias se dilatam, ficam tortuosas e se tornam varizes", explica Pedro Pablo Komlós, presidente da SBACV (Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular).

As mulheres têm mais incidência de varizes devido às alterações hormonais que passam ao longo da vida, como menstruação, gravidez e menopausa. Essa flutuação hormonal diminui a força das paredes das veias, deixando os vasos mais fracos e predispostos para o aparecimento de varizes. Essas veias já podem ser vistas logo no início da adolescência e não só em pessoas idosas ou mais velhas.

Os principais sintomas clássicos das varizes são cansaço nas pernas e dor no fim do dia. "Essa sensação melhora com a elevação das pernas, mas esse ato não é capaz de fazer as varizes desaparecerem, portanto o paciente precisa procurar um especialista para definir qual é o melhor tratamento", aponta Caio Focássio, cirurgião vascular formado pela Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo e membro da SBACV.

Para evitar o aparecimento de varizes, os especialistas ouvidos pelo UOL recomendam a prática de atividade física, alimentação balanceada e controle do peso.

"Os exercícios aeróbicos auxiliam no fortalecimento da musculatura dos membros inferiores, como da bomba muscular da panturrilha, que é fundamental para a circulação venosa. Uma das principais causas de varizes é quando há falência dessa bomba. Para a correta circulação venosa, é superimportante que as mulheres tenham uma musculatura adequada, com força de contração suficiente para ejetar o excesso de sangue na perna", afirma Igor Rafael Sincos, médico do hospital israelita Albert Einstein, especialista em cirurgia vascular, endovascular e angioradiologia pela SBACV e membro do SVS (Sociedade de Cirurgia Vascular, na sigla em inglês).

Sincos afirma que, por conta dessa bomba muscular na panturrilha, mulheres acima do peso e com a musculatura atrofiada apresentam piora dos sintomas das varizes com o uso diário de sapatos de salto. "O uso de salto alto isoladamente não é causa de varizes, mas mulheres com doença venosa e que não tem a musculatura da perna fortalecida devem evitar seu uso por tempo prolongado", aconselha.

Já quem evitava cruzar as pernas com medo de aparecer varizes, não precisa se preocupar, pois o ato não afeta de forma alguma o aparecimento dessas veias. "No entanto, pessoas com uma predisposição para varizes que ficam sentadas na mesma posição ou em pé paradas por muito tempo, podem ter o quadro de varizes agravado rapidamente. Nestes casos, a recomendação é usar meia elástica, fazer pausas para caminhar ou repousar por alguns minutos durante o dia", destaca Sincos.

Tratamento individual

O tratamento para varizes é escolhido de acordo com o tipo e grau dessas veias. Elas podem ser primárias, causadas por hereditariedade, ou secundárias, quando surgem por causa de algo que aconteceu na vida do paciente, como um acidente. "As varizes podem ser classificadas do grau um ao quatro, ou seja de vasos pequenos, edema até veias mais calibrosas, que causam alteração na pele que podem levar a úlceras varicosas", destaca Focássio.

Para as veias menores, Komlós indica a escleroterapia (injeções para secar varizes) como o método mais eficiente. "Essas injeções são feitas no consultório, sem repouso, depois é indicado o uso de meia de compressão. O paciente já tem liberdade de voltar a praticar atividade física imediatamente, além de poder se expor ao sol, já que os roxos saem mais rápido", afirma.

Já para as veias mais grossas, o presidente da SBACV aponta como um bom método a cirurgia de remoção de varizes. "É aplicada uma anestesia regional, e o paciente faz a cirurgia de manhã e já volta pra casa à tarde, sem dor pós-operatória", destaca.

Nos casos de úlcera varicosa ou deformidade na pele, o laser é um tratamento eficaz para eliminar essas veias. "Uma fibra é introduzida dentro da veia e o laser vai queimando-as. Ela interrompe o sangue parado", conta.

From: UOL

Contactos

© Triplex