Pós-Parto: 8 plantas medicinais amigas das mamãs

Pós-Parto: 8 plantas medicinais amigas das mamãs

A entrada no mundo da maternidade é uma experiencia avassaladora e única na vida das mulheres. No entanto, poucas de nós estão preparadas para o impacto que esse evento terá na nossa vida.

As mudanças hormonais, a privação de sono, as dificuldades com a amamentação, o cansaço físico e a insegurança gerada pelas mensagens contraditórias sobre o que é “correto” no cuidado do bebé são os típicos ingredientes básicos da receita dum pós-parto agitado.

Conheça as plantas medicinais compatíveis com a amamentação que nos podem ajudar a ter mais energia, gerir o stress e melhorar a qualidade do descanso no pós-parto.

Spirulina (Spirulina platensis), alga azul disponível no mercado em pó para juntar a sumos e batidos (opção mais barata mas não agradável para todos os paladares), ou então nos clássicos comprimidos. A spirulina é rica em proteínas, minerais, vitaminas do grupo B (mas não de vitamina B12) e beta-carotenos, e constitui uma ótima ajuda para manter altos os níveis de energia.

Ashwaganda (Withania somnifera). Largamente utilizada na tradição Ayurvédica, faz parte das plantas com ação adaptógena. Os adaptógenos melhoram a resistência ao stress, reduzem ansiedade e irritabilidade, promovem um sono reparador e uma função psicológica saudável, e ainda estimulam o sistema imunitário. É talvez a planta medicinal mais importante para as mamãs recentes. Pode ser tomado durante muitos meses seguidos, em comprimidos, para um total de 1 a 6 gramas por dia do extrato da planta.

Aveia (Avena sativa). A aveia, cereal rico em vitaminas e minerais, é tradicionalmente usada como tónico nutritivo e calmante. Pode ser tomada em tintura, uma colher de chá 1 a 3 vezes por dia.

Urtiga (Urtica dioica). Planta particularmente nutritiva, contém vitaminas e minerais, entre os quais destacam o ferro, potássio e silicea. Esta planta é usada para tratar a anemia e compensar a perda de ferro pela hemorragia pós-parto, e também para estabilizar os níveis de açúcar no sangue. O chá de urtiga é delicioso e pode ser combinado com outras plantas, como a alfalfa (Medicago sativa), a flor de laranjeira ou a lúcia-lima. Dose: 1 a 3 chávenas por dia. Preparar com uma colher e meia de planta por 2 chávenas de água a ferver, e deixar repousar 30 minutos.

Folhas de framboesa (Rubus idaeus). Conhecida como tónico pré-natal, esta planta é também um tónico uterino que ode ser combinada com urtiga, rosa canina e muitos outros chás. Dose: 1 a 3 chávenas por dia. Preparar com uma colher e meia de planta por 2 chávenas de água a ferver, e deixar repousar 30 minutos.

Camomila (Matricaria recutita). Esta planta relaxa a mãe e o bebé através do leite materno, ajudando-o a ultrapassar eventuais cólicas. O chá, deixado repousar 10 minutos, pode ser tomado ao longo do dia ou antes de ir dormir.

Lavanda (Lavandula angustifolia). O óleo essencial desta planta alivia cefaleias tensionais da mãe se usado para massagear as têmporas junto com o óleo essencial de hortelã-pimenta. A ação relaxante pode ser aproveitada por mãe e bebé através da difusão no ambiente do quarto de dormir antes de ir deitar (3 ou 4 gotas no difusor), ou no banho da mãe, com 1 ou 2 gotas, diluídas em óleos de massagem ou de banho.

Scutellaria (Scutellaria lateriflora). Esta planta reduz a tensão, promove um sono reparador, e ajuda em casos leves de depressão pós-parto, exaustão ou excesso de estimulação.

Dose: 1/2 - 1 colher de chá de tintura, 2-4 vezes por dia.

 Autora: Antonella Vignati  - Naturopata, Educadora Perinatal  e Macrobiotic Health Coach

From:lifestyle

Contactos

© Triplex