Por que não seguir dietas sem glúten e lactose

Por que não seguir dietas sem glúten e lactose

As dietas do momento excluem glúten e lactose da alimentação como se fossem eles os vilões por trás do acúmulo de gordura. Ledo engano, dizem nutricionistas. Adotar as “novas” regras compromete a ingestão de nutrientes importantes para o funcionamento do corpo, além de ser a receita para obter emagrecimento efêmero.

“Como é complicado mudar hábitos, as dietas da moda emplacam porque prometem resultados em curto prazo. A novidade é um estímulo para quem quer perder peso, especialmente quando divulgada na mídia por alguma atriz famosa”, observa Andrea Bottoni, nutrologista do Hospital e Maternidade São Luiz.

A promessa não é vazia, mas Bottoni desmistifica o segredo do suposto sucesso: eliminar da dieta alimentos com glúten restringe o consumo de carboidratos e, consequentemente, de calorias. O mesmo acontece no caso da lactose. Evitar leite e seus derivados diminui a ingestão de gordura.

Apesar do resultado inicial ser satisfatório, as mudanças alimentares geralmente não são sustentadas em longo prazo e a pessoa volta a ganhar o peso perdido. “Um indivíduo normal, sedentário, também perde um pouco de massa muscular. E cada vez que ganha, é só gordura. A composição corporal fica cada vez mais formada de gordura”, explica o nutrologista.

Outro problema é privar o corpo de absorver cálcio ao evitar produtos lácteos. Leite e seus derivados são as maiores fontes do metal, essencial para transmitir impulsos nervosos e formar os ossos. Bottoni é categórico: se a a pessoa não tem intolerância a lactose, não há a menor necessidade de eliminá-la da dieta.

“Quando a finalidade é diminuir ingestão de gordura, existe o leite semi-desnatado e o desnatado, que mantêm proteínas e cálcio, mas zeram o aporte de gordura. E a pessoa pode cortar queijo, manteiga, creme de leite”, sugere.

Quanto ao glúten, ele não é nada além de uma proteína complexa encontrada no trigo, na aveia, no centeio, na cevada e no malte. Ou seja, não é responsável, em si, pelo acúmulo de gordura. Os portadores da rara doença celíaca são os que devem evitar estes alimentos.

Bruno Halpern, endocrinologista responsável pelo Centro de Controle de Peso do Hospital 9 de Julho, explica que o corpo dos celíacos reconhece os aminoácidos do glúten como agressores e inicia uma reação inflamatória para combater o invasor. “A conclusão de tudo isso é: você não deve tirar [do cardápio] nem o glúten, nem a lactose, a não ser que tenha intolerância ou a doença celíaca. Porque você tá restringindo fontes de nutrientes que só tem nesses alimentos com glúten e lactose”, pontua.

in: Estadão

Contactos

© Triplex