Já existe um braço prostético controlado pela mente

Uma equipa de cientistas na Suécia fez com que um homem conseguisse controlar os movimentos da sua prótese através de impulsos do cérebro.

 

Um sueco tornou-se o primeiro homem a receber um braço prostético que está diretamente interligado aos músculos, ossos e nervos, sendo possível controlá-lo através da mente. Este homem, cujo braço direito tinha sido amputado há 10 anos, recebeu a prótese em janeiro do ano passado, revela a Cnet.

A equipa de Max Ortiz Catalan, cientista da Universidade de Tecnologia de Chalmers e responsável por esta investigação, utilizou a osteointegração para estabelecer uma fusão estável a longo prazo entre homem e máquina. Assim, o braço artificial está diretamente ligado ao esqueleto, o que fornece estabilidade mecânica. Além disso, o sistema de controlo biológico do homem, composto por nervos e músculos, também está interligado com o sistema de controlo da máquina através de elétrodos neuromusculares.

Refira-se que a osteointegração implica uma cirurgia para colocar um implante de titânio diretamente no osso. Uma extensão é depois colocada no implante, o que permite a colocação da prótese. De seguida, os elétrodos são implantados diretamente nos nervos e músculos, tornando-os capazes de ler os impulsos elétricos enviados pelo cérebro que são posteriormente traduzidos em movimentos executados pelo braço.

Após a cirurgia, o paciente já conseguiu desempenhar tarefas tão variadas como conduzir um camião ou apertar atacadores, por exemplo.

O próximo objetivo da investigação, que foi publicada no Science Translational Medicine, é conseguir transmitir sensações. Uma vez que a maioria da informação é transmitida do cérebro para a prótese, os elétrodos implantados nos nervos podem ser utilizados para enviar informação da prótese para o cérebro.

in: exame informatica

 

Contactos

© Triplex