Está a ver como é elegante lá de cima? Há um novo problema cá em baixo a pôr isto em causa

Está a ver como é elegante lá de cima? Há um novo problema cá em baixo a pôr isto em causa

Relatório Planeta Vivo 2014 não traz boas notícias. Além de as populações de diferentes espécies animais terem diminuído de forma preocupante na Terra, a pegada ecológica continua em "escalada ascendente". Portugal aparece na 27ª posição dos países que fazem mais "estragos".

É um novo alerta em matéria de sustentabilidade. Segundo o Relatório Planeta Vivo 2014, tornado público esta semana, a Terra perdeu 50% da sua fauna em apenas 40 anos, continuando por outro lado a aumentar a pressão humana sobre a natureza, vulgarmente conhecida por "pegada ecológica". Em conjunto, as duas realidades "ameaçam os sistemas naturais e o bem-estar humano", sublinha o estudo, que em simultâneo deixa em aberto possíveis soluções.

Os dados recolhidos pela Rede WWF, autora do relatório, permitiram concluir que "as populações de peixes, aves, mamíferos, anfíbios e répteis diminuíram 52% desde 1970". A região da América Latina destaca-se como uma das zonas com quebras mais "dramáticas".

No que às causas diz respeito, a perda e degradação dos habitats surge como a principal inimiga da biodiversidade, ainda que a pesca e a caça furtiva figurem na lista como "ameaças significativas". Outro dos motivos de preocupação - confirma o relatório - são as alterações climáticas, que já aparecem como responsáveis pela possível extinção de espécies.

Portugal na 27ª posição
Apesar dos avisos, os recursos naturais continuam a ser utilizados e consumidos a um ritmo preocupante. A procura supera em 50% a capacidade de renovação da natureza, o que significa que "seriam necessários 1,5 planetas Terra para produzir os recursos necessários para suportar a nossa pegada ecológica atual".

Os "estragos" não são feitos por igual. Analisada a distribuição geográfica, os 10 países com as maiores pegadas ecológicas per capita são Kuwait, Qatar, Emirados Árabes Unidos, Dinamarca, Bélgica, Trinidad e Tobago, Singapura, Estados Unidos da América, Bahrain e Suécia.

Portugal aparece na 27ª posição, lugar que não destoa muito dos seus parceiros da União Europeia. Cada um dos 27 gasta acima dos recursos disponíveis, sobretudo a Bélgica, pela negativa - é o pior entre os seus pares. A Roménia revela a menor pegada ecológica.

O Relatório Planeta Vivo 2014 é a décima edição da principal publicação bianual da Rede WWF. Segundo a nota que o apresenta, "analisa mais de 10.000 espécies de populações de vertebrados entre 1970-2010, através do Índice do Planeta Vivo - uma base de dados mantida pela Sociedade Zoológica de Londres". A medida da pegada ecológica humana é fornecida pela Global Footprint Network.

|
Última atualização há 57 minutos

 FOTO EPA

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/esta-a-ver-como-e-elegante-la-de-cima-ha-um-novo-problema-ca-em-baixo-a-por-isto-em-causa=f891817#ixzz3F009WfmQ

Contactos

© Triplex